Marketing de Conteúdo – O que é e como fazer?

Receba minhas atualizações em seu email




“Marketing de conteúdo” ou “content marketing” é um termo extremamente popular nos dias de hoje. No entanto, o marketing de conteúdo existe desde que a internet existe. No seu conceito geral, marketing de conteúdo significa produzir conteúdos altamente relevantes para o seu público-alvo, como forma de ajudá-lo a esclarecer as suas dúvidas, a atrair potenciais clientes ou simplesmente fazer de si uma autoridade num determinado tema. Naturalmente, quanto melhor o conteúdo que você produz, maior será a percepção do seu público de que você é uma autoridade naquilo que fala.

Não é à toa que grandes nomes como Neil Patel, Gary Vaynerchuk, Tony Robbins, entre outros, se tornaram autoridades nos seus nichos de mercado. Seja através de conteúdo escrito, conteúdo de vídeo, ou qualquer outro tipo de conteúdo, foi através de uma estratégia de marketing de conteúdo que rapidamente se posicionaram como verdadeiras autoridades.

O que é marketing de conteúdo?

Marketing de conteúdo é o pilar do inbound marketing e consiste, essencialmente, em produzir conteúdos relevantes ou de impacto extremamente positivo na sua audiência alvo, sejam conteúdos educacionais, profissionais, tutoriais ou simplesmente conteúdos de entretenimento. Seja um Gary Vaynerchuck a produzir conteúdos para atrair novos clientes para a sua agência de marketing digital, seja uma Kéfera Buchmann a produzir vídeos de entretenimento que geram visualizações e, com isso, patrocinadores e dinheiro em anúncios, marketing de conteúdo começa e termina no momento em que você produz qualquer tipo de conteúdo.

Uma das grandes confusões em torno do tema marketing de conteúdo atrela-se ao conteúdo a produzir. Há profissionais ou empresas que acham que marketing de conteúdo significa escrever sobre o que as suas empresas fazem, as vantagens dos seus produtos, o quão fantásticas elas são, etc. Na realidade, o marketing de conteúdo é o oposto disso. É escrever sobre as dores do seu cliente, as suas dificuldades, entregar um conteúdo incrível sobre um determinado tema. Tudo isto sem pedir rigorosamente nada em troca.

“Marketing de conteúdo” é o melhor exemplo de Good Karma que pode existir. Um bom conteúdo, que ajude o seu público, atrairá um retorno incrível sem que você precise publicitar alguma coisa.

Resumindo, o marketing de conteúdo é o processo de criação que faz com que, indiretamente, através de uma peça de conteúdo, você crie autoridade ou atraia potenciais novos clientes sem fazer qualquer tipo de marketing direto aos seus produtos/serviços. É falar sobre o seu nicho de mercado e o que os seus clientes precisam.

Publicidade VS Marketing de conteúdo

marketing de conteúdo VS publicidadeUm dos temas muitas vezes debatidos entre os fãs da publicidade e os fãs do inbound marketing é a eficácia de cada uma dessas estratégias. Como provavelmente você sabe, anúncios permitem que você coloque seus produtos ou serviços na frente de milhares de pessoas por um custo baixo, sem necessidade de um trabalho extra. No entanto, o inbound marketing defende que a criação de conteúdos relevantes para o seu público não só ajuda você a tornar-se uma autoridade em seu nicho de mercado, como isso ajuda você a converter drasticamente mais em suas ações publicitárias.

Caso você não tenha entendido a diferença, atente-se, por exemplo, o meu percurso profissional. Quando comecei meu primeiro blog de conteúdo lá em 2008, eu era tudo menos conhecido nesse mercado. Na realidade, naquela altura ninguém falava sobre marketing de conteúdo ou inbound marketing. Esses termos ainda eram uma miragem naquela altura. No entanto, foi através da produção de conteúdos em texto (artigos e tutoriais) e vídeo (aulas, webinários, palestras, etc.) que eu me posicionei como um especialista em marketing digital, sem que na verdade tenha de alguma forma publicitado essa característica profissional. O próprio mercado, ao longo dos anos e através dos conteúdos que eu produzia, foi determinando que eu era um especialista em Marketing Digital e Marketing de Afiliados, os dois temas que eu mais abordei ao longo dos últimos 10 anos.

Se você quiser outros exemplos, basta ver os blogs da Expedia, McDonald’s, RedBull, GoPro, entre outras empresas que usam o marketing de conteúdo como uma estratégia extremamente importante na geração de contatos e interesse sobre as marcas. É o mesmo que você imaginar uma estratégia comercial apelativa, sem vender qualquer produto. Vender sem vender.

Quais os objetivos do marketing de conteúdo?

O marketing de conteúdo é fundamental não só pelo tráfego orgânico que ela gera, mas principalmente pela percepção que ele cria junto do seu público. Se você analisar alguns dos exemplos que falei anteriormente, você vai entender que esses profissionais que são considerados especialistas em suas áreas de atuação, eles vivem acima de tudo do conteúdo. Essa percepção de que eles são especialistas vem, precisamente, do conteúdo gerado e compartilhado. Logicamente, o mesmo aplica-se a empresas. Empresas que geram conteúdos relevantes, acabam gerando uma percepção muito positiva sobre as marcas.

Somando-se a tudo isso, o marketing de conteúdo é normalmente feito com base num objetivo. Dependendo do seu objetivo, você terá logicamente de adaptar o seu discurso e, inclusive, o tipo de conteúdo que você pretende criar para esse público em questão:

1. Gerar mais tráfego orgânico para o seu site

Um dos principais resultados de uma boa estratégia de marketing de conteúdo é a geração de tráfego orgânico. Se você já estudou SEO (Search Engine Optimization), provavelmente sabe da importância de produzir bons conteúdos. Se você produzir conteúdos realmente muito bons, não só eles irão gerar links orgânicos de qualidade para o seu site, como também terão um impacto positivo na captação de tráfego por meio das redes sociais. Naturalmente, bons conteúdos geram links e compartilhamentos nas redes sociais e isso tenderá a ajudar o seu site a ganhar uma maior visibilidade nas páginas de resultados orgânicos de motores de pesquisa.

2. Gerar mais leads orgânicos

O marketing de conteúdo é igualmente pródigo na geração de leads orgânicos. Muitas vezes, pessoas seguem o seu trabalho, mas não compram de você. Isso acontece, em muitos casos, porque essas pessoas ainda não estão preparadas para comprar e/ou não se sentem confiantes o suficiente para tomar essa decisão. Com o marketing de conteúdo, além de você nutrir esses leads com um conteúdo relevante e que provavelmente irá ajudá-los a dissipar algumas dúvidas, você ganha uma maior confiança junto dessas pessoas, garantindo que no momento em que elas se sentirem confortáveis para comprar esse produto/serviço, elas irão lembrar-se de você e provavelmente comprar esse produto de você ou da sua empresa.

À medida que você vai criando conteúdo, você vai construindo uma base de leads orgânicos muito grande. Os seus conteúdos geram tráfego orgânico, esse tráfego orgânico gera leads e esses leads se convertem em negócios. Tudo isso em um piloto automático, sem necessidade de tomar qualquer tipo de ação direta sobre esse tráfego.

NOTA: Naturalmente, para você gerar leads qualificados com seus conteúdos, é importante que o seu site/blog tenha essa captação de contatos idealizada antecipadamente, com caixas de subscrição em locais importantes da página.

3. Aumentar a notoriedade da sua marca

Quer você esteja a utilizar o marketing de conteúdo como uma estratégia de branding pessoal ou empresarial, através da geração de conteúdos relevantes, você aumentará exponencialmente a notoriedade da sua marca, seja ela uma marca pessoal ou empresarial. A geração de conteúdos relevantes, além de gerar comentários e interesse junto do seu público-alvo, faz com que você crie um maior nível de interação com seus seguidores. Isso fará com que a sua notoriedade nesse mercado aumente progressivamente, gerando um maior interesse pelo seu trabalho ou pela sua empresa.

A forma como os seus potenciais clientes interagem com os seus conteúdos, determina parte do valor da sua marca. Conteúdos altamente relevantes geram maior interação, enquanto que conteúdos menos interessantes geram menor interação e naturalmente menos compartilhamentos nas redes sociais. A criação dessa interação com os seus leitores é fundamental por várias razões:

  • Você cria uma ligação mais forte com potenciais compradores dos seus produtos/serviços;
  • Você aumenta gradualmente a notoriedade da sua marca para esse segmento de mercado;
  • Você constrói ao longo do tempo uma base de seguidores fieis do seu trabalho;
  • Você fecha mais negócios e gera mais vendas a longo prazo;
  • Você entende as dificuldades do seu público e adapta os seus conteúdos e produtos a elas;
  • Você gera tráfego orgânico para o seu site em piloto automático e aumenta a visibilidade do seu negócio.

4. Baixar o custo de aquisição de clientes

Neste assunto existem várias coisas a levar em consideração. Costumo dizer muitas vezes para alunos meus que, ao comprar publicidade, reduzimos uma janela de tempo de seis meses para provavelmente seis dias. Quando temos um objetivo comercial, tempo é fundamental e muitas vezes o próprio cliente não quer esperar ou adotar uma estratégia de marketing de conteúdo. No entanto, quando trabalhamos com marketing de conteúdo, embora os resultados possam demorar bastante mais tempo, no longo prazo isso será bastante rentável a vários níveis, mas particularmente no Custo de Aquisição de Clientes (CAC).

Funil de MarketingSe imaginarmos um blog de uma empresa, que gera 50.000 visitas orgânicas por mês, estamos falando de um potencial de aquisição de clientes incrível, por um custo extremamente reduzido. Embora a publicidade muitas vezes signifique um investimento alto, é necessário considerar também que o marketing de conteúdo tem um custo. Pensar, idealizar, produzir, editar, revisar e publicar um conteúdo ou vários conteúdos também tem um custo. Esse custo normalmente está associado a uma pessoa: a pessoa que produziu esse conteúdo. Mas esse custo existe.

A grande vantagem do marketing de conteúdo é que, dependendo do tipo de conteúdo que você escreve, ele pode gerar um tráfego orgânico perpétuo ao longo do tempo, o que significa atrair potenciais clientes para o seu negócio ao longo de vários meses ou anos. Imagine publicar 30 artigos no site da sua empresa ou no seu blog pessoal, que possam atrair mensalmente 5 a 10 novos clientes todos os meses. O custo de aquisição de cada um desses clientes, ao longo do tempo, irá reduzir drasticamente, porque o seu investimento já foi realizado lá no início quando você produziu a peça de conteúdo, entendeu?

Segundo a HubSpot, empresas que possuem blogs e publicam conteúdo regularmente atraem 55% mais visitantes, atraem 97% mais links e têm 434% mais de páginas indexadas no Google. (Fonte)

Como fazer marketing de conteúdo?

Embora à princípio possa parecer uma ciência exata ou bastante simples de colocar em prática, na verdade, o marketing de conteúdo exige bastante determinação, foco e atenção. É importante planejar corretamente e antecipadamente todos os conteúdos que você precisa fazer, organizar a sua equipe, definir objetivos para cada um dos seus conteúdos, etc. Existem vários tipos de conteúdos que você poderá produzir, tanto para o seu blog pessoal, quanto para o blog da sua empresa. Você decide quais conteúdos e qual a estratégia deseja implementar, mas é importante que tenha noção do que cada um desses itens exige em termos de esforço e dedicação. Vamos ver:

Tipos de conteúdos que você pode produzir com base numa estratégia de marketing de conteúdo:

  • Blog de conteúdo;
  • Redes Sociais;
  • Email Marketing;
  • Landing Pages;
  • E-books;
  • Vídeos;
  • Infográficos;
  • Podcasts;
  • Aplicativos;
  • Testes online;
  • Comparativos;
  • Webinários;
  • Ferramentas;
  • Kits;
  • Templates.

Como pode ver pela lista, há muito o que fazer quando o tema é marketing de conteúdo. Mas você precisará definir uma estratégia para cada um desses conteúdos, uma vez que não bastará produzir um texto para o seu blog, publicar um vídeo no Youtube ou fazer um post no Facebook. É preciso você entender como cada um desses formatos de conteúdo funciona, onde divulgar, como divulgar e, acima de tudo, como amplificar a sua mensagem para ela chegue ao maior número de pessoas possível.

Blog de conteúdo

Quando comecei meus primeiros blogs lá em 2007, nada fazia prever a importância deste instrumento numa estratégia de marketing de conteúdo em 2017. Dez anos se passaram e o blog continua sendo a principal fonte de tráfego da grande maioria dos empreendedores e empresas ao redor do mundo. Se você nunca criou um blog, tenha em consideração que além de ser uma ferramenta incrível de geração de tráfego, um blog permite também que você controle suas ações e analise o comportamento dos seus potenciais clientes de uma forma incrível.

Um blog bem estruturado, com um bom SEO e um conteúdo realmente relevante pode gerar um tráfego incrível a longo prazo e dessa forma atrair potenciais novos clientes para o seu negócio, seja ele qual for. Se você está vendendo cursos online, tem uma empresa de marketing digital ou simplesmente trabalha com consultoria empresarial, um blog é uma ferramenta incrível para encontrar novos clientes, conforme falei anteriormente.

1. Um bom SEO é fundamental

Fatores de Rankeamento - SEOSe você não entende rigorosamente nada de SEO, é importante começar por aí antes de criar o seu blog. Entender como funciona a otimização para motores de busca poderá fazer uma diferença incrível no impacto e nos resultados dos seus conteúdos. Comece por estudar um pouco sobre SEO e entender a estruturação HTML de um blog, para evitar cometer erros desnecessários e/ou escrever conteúdos que ninguém lê, porque simplesmente não são encontrados facilmente no Google.

Depois disso, é importante que os seus conteúdos estejam devidamente otimizados para o Google para que o robot de rastreamento entenda o seu conteúdo, quais as partes mais importantes e, principalmente, qual a palavra-chave que define a sua peça de conteúdo. Isto não significa que você deverá escrever a mesma palavra-chave inúmeras vezes no seu post! Isso chama-se manipulação e pode resultar numa penalização por parte do Google, ok?

Algumas coisas que você precisa ter em atenção quando estiver escrevendo os conteúdos para o seu blog:

  1. O título do artigo deverá conter a palavra-chave principal (ex.: Marketing de Conteúdo – O que é e como fazer?).
  2. O título do seu artigo deverá ter uma marcação HTML do tipo <h1>título</h1>.
  3. Os subtítulos do seu artigo deverão ser marcados com cabeçalhos do tipo <h2> ou <h3> dependendo da relevância.
  4. O URL do seu post tem de ser curto e objetivo. É importante que a palavra-chave esteja no URL também.
  5. O seu conteúdo deverá estar devidamente estilizado, garantindo que a leitura seja agradável e você consiga reter o leitor:
    1. Utilização de citações;
    2. Utilização de imagens visualmente atrativas;
    3. Utilização de negritos para destacar partes relevantes do conteúdo;
    4. Utilização de links para fontes;
    5. Utilização de itálicos para destacar termos ou estrangeirismos;
    6. Utilização de listas com pontos ou números para sintetizar informação (como esta!);
  6. As imagens deverão utilizar atributos de Título (title) e Texto Alternativo (alt text).
  7. Se usar o WordPress (recomendo!) utilize um plugin de SEO (recomendo o Yoast).
  8. Preencha os campos do plugin de SEO para o Title e Meta Description do seu artigo, que são basicamente o título e descrição que irá aparecer no Google quando alguém pesquisar por um conteúdo semelhante ao seu. Estes campos são importantíssimos e deverão conter a palavra-chave do seu conteúdo.

2. Consistência é fundamental

Ao longo dos últimos 10 anos, já escrevi mais de 5.000 artigos em sites e blogs. Uma das coisas que aprendi com esta experiência é que a consistência é fundamental para atingir bons resultados no médio/longo prazo. Isso significa publicar novos conteúdos em seu blog com alguma frequência. Naturalmente, não existe uma regra definida para isso, então você poderá escrever um post por semana, dois posts por semana ou um post por dia. Você decide como prefere fazer, tendo em consideração que você precisa conseguir realizar esse trabalho sem complicar sua agenda.

A consistência é fundamental porque ela cria uma rotina junto dos seus leitores. Não é à toa que a Kéfera Buchmann publica um vídeo novo todas as quintas-feiras. Além disso, criar uma pressão para produzir esses conteúdos (e não falhar com seu público) cria também uma consistência muito importante, que gera não só tráfego recorrente de leitores assíduos, mas também tráfego de novos visitantes que estão descobrindo esses conteúdos pela primeira vez.

3. Diversificação dos temas abordados

Outro aspecto importante é a diversificação dos temas abordados. Se você sempre está falando de Instagram, chega uma hora que você não tem mais o que escrever. Quando você abre esse nicho de mercado para algo mais global, como por exemplo marketing digital, você poderá falar não só de Instagram, como Facebook, E-mail Marketing, Automação de Marketing, etc. Nem sempre um nicho muito específico é positivo, especialmente em blogs empresariais.

Se você tem uma empresa de arquitetura, por exemplo, você poderá falar de vários assuntos relacionados com arquitetura, design, design de produto, design de interiores, etc. Se você tem uma agência de Marketing Digital, por exemplo, você poderá falar sobre E-Commerce, Redes Sociais, UX/UI, Mobile, entre outros assuntos. Diversificação não só é fundamental, como ajuda você a ter a ideias para novos conteúdos a publicar.

Redes Sociais

Muitos empreendedores e empresas confundem redes sociais com entretenimento. Embora as redes sociais tenham sido criadas originalmente com esse propósito, elas hoje cumprem não só esse objetivo, como diversos outros objetivos profissionais. Hoje você tem páginas de grandes empresas no Facebook, essas empresas fazem atendimento via Facebook, você tem o LinkedIn, o Instagram já tem todas as principais marcas de luxo do mundo, etc. As redes sociais deixaram de ser meramente espaços lúdicos para serem uma presença importante das empresas na comunicação com o seu público-alvo.

É aqui que o marketing de conteúdo entra. Produzir conteúdos para as redes sociais não necessariamente significa entretenimento. As redes sociais são hoje utilizadas como principal meio de comunicação quando o objetivo é consumir conteúdo, encontrar informação ou simplesmente divertir-se. A sua presença e o seu posicionamento nas redes sociais deverá refletir aquilo que você pretende alcançar em sua via profissional, ou seja, se você tiver uma presença profissional, compartilhar conteúdos profissionais, escrever conteúdos interessantes que ajudem a sua audiência, etc., isso irá dar a você um posicionamento profissional nessa área de negócio.

Algumas das razões para você trabalhar os seus conteúdos nas redes sociais:

  1. É o local onde o seu público está presente e onde as pessoas passam mais tempo ao longo do dia;
  2. Nas redes sociais o seu conteúdo é amplificado de uma forma incrível. Compartilhamentos geram uma disseminação incrível das suas matérias;
  3. As redes sociais são o local correto para você atender os seus potenciais clientes e esclarecer dúvidas;
  4. Os anúncios no Facebook, Instagram, LinkedIn, etc., são extremamente baratos e permitem que a sua mensagem chegue a milhares de pessoas por um custo super baixo;
  5. As redes sociais são um local extremamente importante de geração de tráfego, autoridade e leads;
  6. As redes sociais são um complemento a todas as outras estratégias que você tenha: blog, vídeos, cursos, etc.

1. Cada perfil tem uma abordagem diferente

É muito comum empreendedores e empresas criarem perfis em várias redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Youtube, Google+, Snapchat, Pinterest, etc.) e depois publicarem os mesmos conteúdos em todas essas redes. Isso é um erro tremendo. É o mesmo que você imaginar a General Motors, que tem as marcas Chevrolet, Opel, GMC, ACDelco, Vauxhall, OnStar, entre outras, agora começar a produzir todos os carros iguais, mas simplesmente com marcas diferentes. Isso faz sentido?

Se você criar um perfil no Instagram e outro no Facebook, os conteúdos que você publicar em cada uma dessas redes têm obrigatoriamente de ser diferentes. São público-alvo diferentes, que consomem conteúdos de formas diferentes. Por isso que é importante muitas vezes não estar presente em todas as redes, mas somente naquelas que realmente fazem sentido para os seus objetivos profissionais, sejam eles quais forem.

2. Vender sem vender

Já falei anteriormente sobre o “Vender sem vender”, que é basicamente a estratégia mãe do marketing de conteúdo. Através de um conteúdo altamente relevante, além de você ajudar o seu público, você ainda conseguirá melhorar a sua autoridade e atrair potenciais clientes. Infelizmente, as redes sociais continuam sendo utilizadas por muitos profissionais da forma mais errada possível, que consiste em basicamente fazer spam em todos os grupos possíveis, tentando divulgar uma oferta milagrosa para enriquecimento rápido. Não seja essa pessoa!

3. Interação gera confiança, que gera interação

As redes sociais são o local correto para criar interações com outras pessoas. Ao contrário do mundo real, onde provavelmente você tem vergonha de abordar uma outra pessoa para falar com ela sobre qualquer assunto trivial, nas redes sociais você consegue fazer isso sem ter de passar por essa sensação. E as redes sociais são ótimas para criar interações com outros profissionais, estabelecer ligações, etc. Essas interações geram uma maior confiança em você e no seu trabalho e isso naturalmente gera maior interação e por aí adiante.

Relacione-se com as pessoas. Isso é fundamental para o seu crescimento!

4. Medir > melhorar > medir

Tal como no item anterior, medir os seus indicadores chave de performance (KPI’s), o impacto dos seus conteúdos e das suas ações, irá dar-lhe uma visão holística sobre de que forma você poderá melhorar os conteúdos que partilha nas redes sociais. A grande vantagem do ambiente digital é tudo é mensurável, o que significa que todas as suas ações nas redes sociais podem ser medidas até ao ínfimo pormenor, gerando informações extremamente relevantes sobre como atuar nos próximos conteúdos que você produzir, para atingir de forma mais positiva e relevante a sua audiência alvo.

  1. Analise o impacto dos seus conteúdos ao nível das pessoas alcançadas, mas não só isso. Alcance não significa vendas!
    1. Analise o número de impressões da sua publicação;
    2. Analise o número de interações realizadas com essa publicação (curtidas, comentários, compartilhamentos, etc);
    3. Analise a taxa de cliques em cada uma das suas publicações e a correspondência no seu Analytics;
    4. Analise o número de pessoas que realizou alguma ação no seu site ou blog depois de visualizar o conteúdo nas redes sociais;
    5. Analise o número de leads captados através dessa ação de marketing de conteúdo.
  2. Os comentários ao seu conteúdo são também uma das métricas mais importantes, porque lhe dão uma visão mais objetiva de como esse conteúdo ajudou a pessoa ou não;
  3. O número de compartilhamentos de um conteúdo determina o quanto esse conteúdo é popular. O Google já utiliza as redes sociais como um fator de ranqueamento, ou seja, conteúdos com maior interação social, tendem a ser mais importantes para o Google do que conteúdos que geram pouco interesse (faz sentido!);
  4. Se realizar uma campanha publicitária para um determinado conteúdo, tente compreender até que ponto isso foi positivo para o seu negócio ou para a divulgação desse conteúdo;
  5. Medir as conversões geradas via redes sociais em novos contatos ou leads é fundamental para você entender se o conteúdo realmente está funcionando e gerando um interesse grande sobre o seu negócio ou empresa.

Email Marketing

Há quem diga que o e-mail marketing brevemente está morto. As pessoas estão cansadas de receber comunicações não solicitadas e o poder do e-mail marketing se perdeu.

Discordo completamente de quem pensa isto. O e-mail marketing continua sendo uma das principais fontes de conversão em vendas das minhas ações de marketing digital e é uma ferramenta extremamente poderosa de persuasão, comunicação e conversão. Naturalmente, uma boa estratégia de e-mail marketing prevê uma boa segmentação do público-alvo. Tal como em qualquer outra ação de marketing digital, a segmentação é o segredo para a conversão. Não faz sentido enviar um conteúdo sobre programas de afiliados para um subscritor que está interessado em saber como criar um blog. Essa segmentação é fundamental para que os resultados sejam realmente eficazes.

Logicamente, existem imensas estratégias de e-mail marketing que poderíamos falar. Vou falar somente daquelas que são realmente importantes e poderão ajudá-lo a alcançar bons resultados nas suas estratégias de comunicação e marketing de conteúdo:

  1. Segmentação é o segredo – Sem uma boa segmentação da sua base de dados, principalmente por interesses, você estará basicamente a fazer como as empresas que anunciam na televisão para qualquer público. Seria o mesmo que enviar uma mensagem para qualquer pessoa, sem entender se essa pessoa está realmente interessada no assunto ou não. Sendo assim, a taxa de conversão será miserável.
  2. Um bom design vende mais – A grande maioria dos profissionais e empresas tendem a descurar imenso a imagem. Seja através da comunicação por newsletters ou nos seus posts do Facebook. A sua imagem dita não só a qualidade do seu trabalho, como também ajuda a vender mais ou menos. É o mesmo que você imaginar uma empresa de limpezas, onde você chega e o escritório está completamente desarrumado e sujo. Não faz sentido, certo? Preocupar-se com o design das suas newsletters é fundamental para atingir bons resultados.
  3. Menos imagens e mais texto – As newsletters com muitas imagens normalmente tendem a ir parar no spam com maior frequência. Isso acontece por causa da relação entre texto e imagem, que é um dos fatores de consideração de uma mensagem de spam. As mensagens de texto também são mais leves.
  4. Um bom título aumenta a taxa de abertura – Um bom título tendencialmente melhora a sua taxa de abertura de e-mails. O ideal nesta situação seria você realizar vários testes A/B para entender quais os títulos que geram mais interesse para a sua audiência. Entender o comportamento dos seus leitores é fundamental para atingir resultados.
  5. Não compre contatos – Comprar listas de contatos para enviar newsletters chama-se spam. Procure trabalhar com os seus próprios contatos e foque a sua estratégia na captação de novos contatos e leads.
  6. Medir Medir Medir – Como falamos anteriormente, medir os resultados de todas as suas ações é fundamental para você entender o seu público e as suas futuras ações. Se não medir os resultados das suas campanhas de e-mail marketing, nunca saberá o que funciona melhor para um determinado segmento do seu público e isso significa perder vendas.

Estatísticas de Email Marketing

Landing Pages

As landing pages são uma ferramenta extraordinária de comunicação e geração de leads. Muito comuns nos dias de hoje, as landing pages permitem não só que você comunique um determinado produto ou serviço da sua empresa, como também as utilize numa estratégia de geração de leads. Em ambos os casos, as landing pages podem ser vistas quase como infográficos em versão web, onde você poderá abordar diferentes conteúdos e ajudar o seu público a entender determinados assuntos, por exemplo.

Se você nunca trabalhou com landing pages, seria interessante perceber antecipadamente o poder dessas ferramentas e como elas podem realmente ajudar o seu negócio. Aproveite também para analisar algumas ferramentas muito interessantes para criar landing pages, como é o caso do WP Profit Builder, OptimizePress, Unbounce, LeadPages, entre outras.

E-books

A criação de e-books é outra forma interessante de colocar o marketing de conteúdo a trabalhar a seu favor. Imagine por exemplo que você escreve 30 artigos no seu blog e que 10 desses artigos estão relacionados a um único tema. Você poderá facilmente compilar esses 10 artigos num e-book, ajustar os textos, dar uma revisada e publicar um e-book prático que os seus potenciais clientes possam descarregar. Naturalmente, isso é uma excelente forma de geração de leads e potenciais contatos que poderá posteriormente nutrir por meio de uma estratégia de e-mail marketing , passando-s de leads a clientes da sua empresa/negócio. Quem faz muito bem isso é a HubSpot e a SocialBakers, que estão constantemente lançando pequenos e-books sobre determinadas temáticas, com uma estratégia clara de captação de leads. Assim, você também poderá investir um pouco mais de tempo e criar algo realmente único. Isso então seria fantástico!

Vídeos

O vídeo é provavelmente o formato de conteúdo que gera mais autoridade nos dias de hoje. Se você imaginar que um conteúdo escrito, embora relevante, não tem o seu autor em primeiro plano e que um vídeo coloca você em frente ao seu potencial cliente, você provavelmente irá entender a diferença. O vídeo humaniza o seu conteúdo e o coloca numa posição de maior destaque, o que aumenta a sua notoriedade e gera uma maior confiança junto ao seu público. Vários estudos indicam que um vídeo numa página de venda de um produto aumenta em mais de 80% a intenção de compra do cliente, o que traduz bem a confiança que um vídeo pode gerar.

Os smartphones mais modernos já possuem câmeras de alta resolução. Você não precisa de comprar uma máquina de filmar ou um máquina fotográfica de alta resolução. Um equipamento básico, mas que garante alguma qualidade é o suficiente para gerar um excelente resultado.

Podemos falar também sobre os lives que estão tão na moda nos dias de hoje. Um Facebook Live ou um Instagram Live tem um potencial incrível de visualização e na grande maioria das vezes é feito com um simples smartphone. A partir do momento em que você tem algo para dizer, o meio não é o mais importante, mas sim a mensagem.

Ferramentas

Muitas empresas criam ferramentas simples para auxiliar os seus potenciais clientes. Isso é uma estratégia fantástica de marketing de conteúdo, porque além de servir como forma de gerar leads, essa ferramenta resolve um problema ao utilizador. Um dos melhores exemplos é a ferramenta Make My Persona, criada pelo HubSpot, por exemplo. É uma ferramenta extremamente simples, mas que auxilia qualquer profissional na criação de uma persona.

De todos os tipos de ações de marketing de conteúdo que existem, esta é uma das mais complexas. Muitas vezes a criação de ferramentas exige a criação de um design e, posteriormente, o desenvolvimento da aplicação web ou mobile, o que provavelmente será um investimento muito alto. No entanto, caso você tenha essa possibilidade, é uma excelente forma de você entregar algo realmente útil para os seus clientes e com isso gerar uma base de dados de leads extremamente rica e com um potencial tremendo.

Como não fazer Marketing de Conteúdo

Logicamente, o marketing de conteúdo inclui também diversas coisas que você não deve fazer. Já falei anteriormente sobre várias das coisas que deve evitar quando trabalha os seus conteúdos e principalmente quando monta uma estratégia de divulgação dos mesmos, no entanto, é importante relembrar alguns princípios básicos do marketing de conteúdo e erros que podem ser facilmente evitados:

  1. Marketing de conteúdo leva tempo – Um dos principais erros que a grande maioria dos profissionais e empresas cometem é não darem tempo ao marketing de conteúdo. Se você acredita que começa hoje a escrever conteúdo no seu blog e amanhã começa a receber milhares de visitas do Google, deixe-me avisá-lo de que isso não vai acontecer! Marketing de conteúdo leva tempo, é exigente e naturalmente é preciso uma boa dose de paciência.
  2. Analisar o mercado antes de produzir conteúdo – Logicamente você terá uma ideia sobre o que escrever, mas não seria interessante validar essa ideia no mercado e entender se os seus potenciais clientes realmente se interessam por isso? Nem sempre aquilo que você pensa ser um bom conteúdo, realmente o é. Faça uma pesquisa de mercado através do Google ou através do Google Keyword Planner para entender o que o mercado realmente pesquisa.
  3. Contextualização é importante – Se você tem uma empresa de venda de equipamentos informáticos, não faz sentido você escrever conteúdos sobre programação ou e-Commerce, certo? Por mais que a diversificação possa gerar resultados, a falta de contextualização acabará por matar a sua estratégia de marketing de conteúdo e o seu negócio.
  4. Consistência é fundamental – A célebre frase “quem não aparece rapidamente é esquecido” não existe por acaso. A consistência das suas ações irá determinar o sucesso do seu negócio. Se você começa a publicar 1 artigo por semana no seu blog, é extremamente importante que mantenha essa consistência, caso contrário os seus leitores irão ficar decepcionados consigo.
  5. Métricas são métricas. Vendas são dinheiro! – Pouco importa se a sua página de Facebook tem 5.000 likes ou 50.000 likes. Pouco importa se o seu blog recebeu 15.000 visitantes ontem. No final do dia, o que interessa é o resultado prático disso tudo, ou seja, vendas. Se não vendeu, a sua estratégia provavelmente está errada.
  6. Responsabilidade e atribuição de tarefas – Costuma-se dizer que “um cão com dois donos passa fome”. Isso acontece porque cada um dos donos acha que o outro fez o trabalho de alimentar o cão. Isto significa que se não existir alguém responsável pela tarefa de produção de conteúdo, seja ela gravar um vídeo ou escrever um texto para o blog, essa tarefa não vai ser cumprida. Simples assim.

Agora que você entendeu como funciona o marketing de conteúdo, está na hora de traçar um plano de ação e começar a trabalhar melhor as suas estratégias de comunicação.

Aproveite também para conhecer o meu Curso de Marketing Digital, que poderá ajudá-lo no passo seguinte! ;)

Bons Empreendimentos!


Google Plus



  • Marcelo Langoni

    Grande Paulo Faustino!
    Embora já o acompanhe desde 2010 e conheça a qualidade do seu trabalho, admito que fiquei impressionado com o conteúdo de valor compartilhado neste Artigo.
    Muito obrigado.
    Um forte abraço e muito mais sucesso profissional!
    Att,
    Marcelo Langoni

    • Obrigado Marcelo! Grato pelas palavras 🙏🏻🙏🏻

  • Ufa! Terminei e me atualizei. Agora não perco um. ;)
    Próxima meta do Paulo Faustino. 10.000 palavras . . . 😱
    E um bora colocar em prática!
    Parabéns pelo trabalho grande Paulo e obrigado por partilhar conosco as suas experiências.
    Grande Abraço e Muito Sucesso!

    • Obrigado João, fico contente que tenha curtido a matéria. Novos artigos nos próximos dias! :-)

Ver artigo anterior Ver próximo artigo
Leia também esse artigo:

Email Marketing

E-mail Marketing – O guia completo para ter sucesso com seus emails